.............................................................................................................................................................................................................................................................................. Estamos recrutando novos Tradutores, Revisores, Encoders/Uploaders. Interessados favor contatar nossa » Equipe «

Compartilhe
Ver o tópico anteriorIr em baixoVer o tópico seguinte
avatar
Mensagens : 3
Data de inscrição : 28/08/2017
Ver perfil do usuário

Sotus Ep 2

em Sex Set 08, 2017 6:36 pm
Olá para todos. Sejam bem-vindos. Eu sou o Benko e hoje estarei trazendo a review do Episódio 2 de SOTUS – The Series.


SOTUS - Episódio 2 - Questão de respeito.





Começamos mais um episódio mostrando que alguns calouros não querem seguir a responsabilidade e/ou estarem nos trotes por achá-los uma questão de submissão arbitrária e/ou por simplesmente não acharem legal. Em contraponto a essa questão, vemos a primeira reunião entre os veteranos do terceiro ano que mostra os conflitos internos dos mesmos. É legal mostrar que até mesmo eles possuem opiniões divergentes e que nem todos estão de acordo com os métodos implantados para se manter o respeito dos mais velhos para com os mais novos dentro do curso de engenharia. Prem, sendo o mais fervoroso dentro da situação, chega a ser quase um carrasco, ele tem o sangue muito quente e veremos mais dele daqui para frente. Existe também uma certa cobrança para com as atitudes de Arthit com relação ao Kong não ter cumprido com algo que lhe foi ordenado. Essa cena é de suma importância, pois mostra que apesar de uma faxada de "amigos" diante dos calouros, eles possuem suas diferenças e as personalidades de todos ali são bem distintas, uns mais afiados e rigorosos e outros mais leves e observadores.
Esse início cheio de conflitos nos leva a refletir sobre o quão hierárquica e arbitrária algumas instituições de ensino podem ser. Para contrabalancear, temos uma cena bem legal de Kong e Wad, que assim como Kong tem uma personalidade forte e não se submete aos outros. (Wad está fumando nesse momento – tipo, colocaram um efeito de "desfoque" no cigarro, ok ok ok existe censura e eu creio que eles acreditam que possam influenciar os mais jovens com relação a vício, mas os caras estão na faculdade, se for pra colocar esse efeito em qualquer cigarro e bebida na série seria melhor não colocar nada certo?).
Opa, reunião Vet X Calouros, então é hora de se preparar porque lá vem! E desta vez não são Kong e Arthit quem vão se enfrentar e sim Prem e Wad. Ooooohhh yes!! Prem se sente absurdamente insultado pois Wad não fez um simples cumprimento a ele – notamos a primeira cena em FlashBack, onde mostra Wad completamente ausente da percepção ao seu redor. Simplesmente ele não notou Prem. Porém isso para o veterano não é uma justificativa e ele nem ao menos tentou se explicar, Prem explode em chamas e recebe o mesmo efeito forte de Wade. Adorei o embate de ambos, duas personalidades explosivas e severas, isso mostra exatamente que nem todos os calouros são fracos e subjugados e que não se é impondo regras e aos gritos que se ganham batalhas. A guerra é longa e estratégias devem ser feitas. Também acho legal destacar aqui a importância do som no momento em que Wad faz uma reverência para Prem, é um som distinto e solene, como se fosse uma aceitação, pelo que eu entendi o “Wai” é uma maneira de mostrar respeito aos mais velhos, nesse caso, ao veterano em questão. Esse tipo de reconhecimento serve para todos em todos os campos da vida e a série mostra que respeito é fundamental em todos os momentos. Porém o tiro não sai exatamente como planejado e outros calouros se rebelam e também abandonam o trote (chupa essa manga Prem !!!). Essa cena também tem um erro de continuidade, se pararmos para observar, ao lado de M está um calouro qualquer, porém quando mostra o mesmo novamente, temos Kong ao seu lado. É um erro básico em que ele não está lá no início da cena, somente no fim.
Conhecemos em seguida Dear, um veterano acima da galera de Arthit e Prem (que são do terceiro ano), notamos com facilidade que o jogo vira automaticamente com a sua chegada, onde os veteranos se tornam meros filhotes diante de um "Cão maior". Ou seja, todo o funcionamento estrutural da faculdade de engenharia funciona basicamente com a hierarquia, portanto, ” eu sou mais velho que você e você está abaixo de mim, então você terá que seguir as minhas ordens, fim !!!”.
A série é mostrada com muitas simbologias, seriam elas as identificações de coisas e momentos importantes. O mais legal é que, objetos considerados triviais, como por exemplo um crachá, ganham uma substancial importância dentro da trama, mostrando que a maneira como você se identifica para os outros faz com que eles te conheçam e como basicamente ninguém trabalha sozinho nessa vida, você sempre precisará de conexões para tudo, sua identificação lhe fará conhecido. Ponto para o roteiro !!!
Dessa vez destaco que o roteiro é cheio de altos e baixos com relação a todos os lados deixando os personagens em tom de igualdade, mesmo que os calouros não saibam ainda de como os veteranos estão sendo cobrados, a faxada de inabalável entre eles é mantida com maestria. O ponto alto desse episódio definitivamente é levar os calouros à exaustão como maneira de punição e isso sempre vem com alguma consequência que beira a catástrofe como é bem observado graças a uma exata cena em particular. Tudo isso para exemplificar o sentido da palavra Unidade, mostrando que o trabalho em conjunto é fundamental.
Graças aos céus esse capitulo consegue mesclar tensão com momentos de humor, obrigado ao som que vem sempre com uma trilha empolgante. A escolha do representante de "Mister Campus" (que na verdade é o concurso de Sol e Estrela / 2 Moons feelings) nos leva a momentos leves e de humor, também conhecemos um novo veterano que como posso definir "é quase uma mulher" rsrs, interessante que o personagem não é explorado e nem tem um storyline mas ele demonstra que você pode ser quem quiser ali dentro, conviver bem e ter os respeito dos demais mesmo assim. Arthit mostra que, no fim, ele se importa com seus calouros e, apesar de mostrar sempre uma cara emburrada e chateada, pelo menos no seu íntimo ele é mais tolerante e preocupado com os outros do que talvez ele mesmo perceba.
Temos outra cena Wad e Kong, onde o primeiro diz que não quer voltar ao trote e explica seus motivos, ao mesmo tempo que Kong lhe explica os seus de querer ficar, deixando claro que ele está se subjugando e aceitando esse tipo de comportamento porque no fim ele tem um agente motivador dentro dele (ao qual ele vai acabar descobrindo mais tarde no mesmo episódio).
Vou finalizar hoje analisando a última cena do episódio onde, num descuido de M, Kongpop tem que ir à sala buscar documentos e, nessa hora ele realiza e vê que os veteranos também são subjugados e que toda essa influência que vem de cima para baixo, transforma o jogo de poder entre eles, saindo do maior para o menor em sistema gradativo. Só que como nem tudo são flores, Kong será descuidado e isso pode trazer a ele coisas não tão boas.

Frase / Momento:
Arthit - Ei o que você está fazendo aqui?
Kong - Esqueci uns documentos e vim buscar.
Arthit - Então volte ao seu quarto agora!!!!
Kong - P'Arthit, eu acho essa sua carinha de bravo ... uma gracinha.
Arthit - ...


Huahuahuahuahuah eu adoro a ousadia fofa do Kong e as caras de "sem graça" que o Arthit fica diante dessas situações.

Bem galera, por hoje é só, espero que vocês estejam curtindo e sintam-se à vontade para comentar.

Xoxo
Benko.
Ver o tópico anteriorVoltar ao TopoVer o tópico seguinte
Permissão deste fórum:
Você pode responder aos tópicos neste fórum